0000009677 dominio publico

periódicos

siape

EduCafé

Os participantes do EduCafé conhecem os critérios de prova de café apresentados pelo Trader  da Cocarive

A Cooperativa Regional dos Cafeicultores do Vale do Rio Verde contribuiu mais uma vez para a formação de alunos do Campus Avançado Carmo de Minas levando os conhecimentos da cadeia produtiva do Café Especial.

Desta vez, o Trader Hugo Silva Ferreira desenvolveu o tema Prova/Degustação de Café, diferenciando os critérios empregados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA daqueles empregados pela Brazil Specialty Coffee Association – BSCA. O MAPA emprega o Sistema da Classificação Oficial Brasileira – COB, que avalia os defeitos dos grãos e classifica o tipo de bebida obtida da extração do café: estritamente mole (a melhor, agradável) até rio zona (a pior, desagradável). A BSCA optou por desenvolver uma escala de 10 atributos sensoriais notáveis no café: aroma, uniformidade, ausência de defeitos, doçura, sabor, acidez, corpo, finalização, equilíbrio e avaliação global da bebida. Notas atribuídas para esses parâmetros resultam numa pontuação final que indica a qualidade do café. Nesta escala, os cafés que atingem no mínimo 80 pontos são considerados especiais, sendo diferenciados no mercado com valor agregado maior, beneficiando o produtor com remuneração melhor por saca.

Cada atributo das escalas COB e BSCA foi explicado, comentado e exemplificado, permitindo que os alunos formassem uma visão da escala de avaliação dos cafés empregada no Brasil, considerando as produções de café tradicional (commodity) e café especial. Hugo Ferreira também comentou sobre a subjetividade das provas de café, pois dependem da avaliação dos provadores. Mas esclareceu as dúvidas dos alunos, afirmando que há mecanismos de calibração de provadores e que a experiência torna as avaliações bastante equilibradas. Ele destacou também que o município de Carmo de Minas e outros adjacentes possuem alta capacidade de produção de lotes de cafés especiais e que tais cafés têm atingido pontuações frequentemente maiores que 83 pontos na escala BSCA.

Uma colocação importante do Sr. Hugo Ferreira foi esclarecer aos alunos que seu envolvimento com café é relativamente recente, de cerca de seis anos; e que ele não tinha vínculo direto com o café anteriormente. A informação é emblemática, pois evidencia que os alunos interessados em aprofundar seus conhecimentos e buscar uma carreira poderão ingressar no universo do café tendo como ponto de partida a formação proporcionada pelo Educafé.

A aluna Ana Paula Guerra, cursando o Módulo III do Curso Técnico em Alimentos, destaca que as palestras realizadas no Educafé têm sido bem ricas de informações e atrativas, além de deixar claro que há muitas oportunidades de trabalho para quem tem interesse na área.

EduCafé – ações educativas em café tem apresentado a cadeia do café especial aos alunos do Curso Técnico em Alimentos e aos técnicos em alimentos formados no Campus Avançado Carmo de Minas.

Palestras são proferidas por profissionais especialistas em cada tema, representando empresas e instituições da região, o que fortalece a formação de mão de obra pelo Campus Avançado Carmo de Minas e o contato dos alunos e técnicos em alimentos com o mercado de trabalho.

Confira as fotos!

Texto e fotos: Lílian Vanessa Silva
Publicado em 25 de Maio de 2018.