0000009677 dominio publico

periódicos

siape

EduCafé

Os equipamentos específicos, a tecnologia e as operações unitárias dos processos pós-colheita/beneficiamento de cafés são apresentados no EduCafé pela Pinhalense

A alta qualidade necessária aos cafés especiais obtidos na região da Mantiqueira de Minas só é conquistada se houver tratos pós-colheita adequados, incluindo o beneficiamento. Sem isso, a qualidade fica comprometida e o café geralmente não atinge a pontuação necessária para garantir um bom valor de comercialização para este grão. Portanto, a tecnologia tem um papel preponderante na obtenção de cafés especiais e raros.

O Engenheiro Agrônomo Eduardo Leite Maraccini apresentou aos participantes do EduCafé a especialidade e a expertise da Pinhalense Máquinas Agrícolas neste setor: Nos últimos 65 anos a história da Pinhalense e do processamento de café se confundem. A empresa cresceu, dominou o mercado no Brasil e se transformou numa das maiores fabricantes mundiais de máquinas para processamento de café.

A linha de produtos da empresa para o setor cafeeiro é ampla: implementos, colheitadeiras, secagem, benefício úmido e seco, rebenefício, silos, transporte, laboratórios e automação. Eduardo Maraccini comentou sobre toda a linha, mas focou sua apresentação detalhando os processos que empregam os equipamentos para benefício e rebenefício do café. Afirmou o impacto que os tratos pós-colheita conferem ao café e como a tecnologia contribui para a manutenção da qualidade dos grãos, refletindo na garantia de uma boa bebida.

A riqueza de imagens e explicações demonstrou bem as diferenças entre os benefícios úmido e seco; e a importância desses processos foi contextualizada com informações sobre a história do café em paralelo com a evolução da obtenção de cafés de alta qualidade no Brasil. Destacaram-se tópicos como uso da tecnologia em diferentes relevos, como Cerrado x Sul de Minas; o impacto da tecnologia na gestão do processo, como na otimização da secagem por centrífugas e secadores; e os impactos da boa aplicação dessas tecnologias no preço de comercialização do café. Outro ponto de destaque foi a abordagem sobre a otimização do uso da água. Eduardo informou sobre o prêmio conquistado pela Pinhalense no desenvolvimento de um equipamento que pode dispensar o uso de água no benefício úmido, impactando tanto no uso deste recurso quando na minimização da geração de efluentes do processo, contribuindo também para reduzir impactos ambientais.

Eduardo Maraccini demonstrou sua satisfação em contribuir com a formação dos participantes do EduCafé afirmando que esta iniciativa é importante porque há carência de profissionais nesta região que ampliem a aplicação de boas práticas de pós-colheita para aumentar a produção de cafés especiais. Na outra ponta, o Técnico em Alimentos João Carlos Munhoz, formado no Campus Avançado Carmo de Minas, relata que ficou impactado com as informações de processamento e com a funcionalidade dos equipamentos apresentados, afirmando que a palestra foi enriquecedora.

EduCafé – ações educativas em café tem apresentado a cadeia do café especial aos alunos do Curso Técnico em Alimentos e aos técnicos em alimentos formados no Campus Avançado Carmo de Minas.
Palestras são proferidas por profissionais especialistas em cada tema, representando empresas e instituições da região, o que fortalece a formação de mão de obra pelo Campus Avançado Carmo de Minas e o contato dos alunos e técnicos em alimentos com o mercado de trabalho.

Confira as fotos!

 

Texto e fotos: Lílian Vanessa Silva
Publicado em 20 de junho de 2018.